Menu

Expertise

Apoiamos diversos setores a aumentar a performance operacional de seus projetos e construções de maneira rápida e sustentável.

Ramp-up Management (estruturação e arranque)

"O quanto antes os processos críticos forem definidos e testados, menores as chances de existirem problemas após o início da produção." Start of Operation (SOP) 

A origem do ramp-up management costumar ser associada à indústria automotiva. Por ser uma indústria de alta competitividade e agregação de valor, apresenta uma complexidade elevada quando se está numa fase de ramp-up, pois não há tolerância para atrasos ou erros, considerando principalmente os altos investimentos em pesquisa e desenvolvimento. 

Outras circunstâncias podem tornar um ramp-up extremamente desafiador, a depender da indústria. Na construção pesada, em projetos estruturados para operação imediata ou, na indústria de petróleo e gás, em projetos de produção de óleo ou derivados, alguns ingredientes se evidenciam. Prazo extremamente exíguo, curto tempo de preparação e estudos (América Latina e África, principalmente) e interferências externas transforma o ramp-up management quase em uma missão de guerra por exigir esforço duplicado, dedicação e disciplina nas esferas Pessoas e Gestão. Os desafios, neste caso, são menos técnicos e mais gerenciais.

A Steinbock desenvolveu uma grande expertise em ramp-up management. Hoje contamos com uma robustez metodológica para enfrentar desafios de envergadura e natureza diversas. Nossa experiência vai desde o início de operação de um aeroporto internacional no Brasil até o funcionamento pleno de uma fábrica de motores no México, passando por uma nova linha de montagem automotiva na Alemanha. De forma customizada e utilizando ferramentas simples e eficazes, equilibramos esforços na implantação de processos e rotinas para ramp-up, tratativas para engajamento de equipes multidisciplinares, atuando sob pressão.

O que inclui

  • Mapa de milestones;
  • Estratégias de ataque de produção e logística;
  • Planos de escalação;
  • Quality-gates;
  • Planejamento de ritmo;
  • Planejamento inicial e estruturação;
  • Plano de mobilização rápida;
  • Lookahead e gestão de restrições;
  • Simultaneous engineering teams;
  • Gerenciamento de crise;
  • Salas de situação;
  • Indicadores de desempenho de ramp-up;
  • Célula de trabalho e células de resultado;
  • Gerenciamento de risco;
  • Gestão de múltiplos projetos e ações;
  • Ferramentas de controle;
  • etc.

Aplicável a

A metodologia do ramp-up management é aplicável em qualquer situação na qual se tenha um avanço gradual na produção de um bem ou na execução de um serviço. Em geral, esta abordagem é muito valiosa para novos processos ou produtos, mas também pode agregar valor em situações de retomada.

Para a indústria da construção, o ramp-up tem papel fundamental em dois momentos:

1) no início da execução das obras, quando os serviços de construção saem do zero para uma quantidade ótima e cíclica. O ramp-up managament, neste caso, tem o papel principal de fazer com que o arranque seja mais rápido, sem muitas surpresas (redução do transitório), garantindo um regime de cruzeiro mais estável.

2) no início de operação do bem finalizado. Esta etapa pode também ser chamada de comissionamento ou pré-operação. O objetivo é garantir um arranque rápido, seguro e estável da operação do bem em questão, a exemplo de uma planta industrial, um navio sonda, um estádio de futebol ou um metrô.